Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Eis o Sporting

Sporting Clube de Portugal verde branco


O equipamento alternativo do Sporting de 1955/56 a 1964/65

As primeiras camisolas do Sporting eram todas brancas. Apenas em 1908 foi adoptado o equipamento bipartido, a que depois se chamou Stromp, e apenas nos anos 1920 se adoptaram as camisolas listadas - a 19 de Novembro de 1926 no râguebi, e a 6 de Novembro de 1927 pelo futebol do Sporting Clube de Portugal.

As camisolas Stromp ficaram então como equipamento de gala, usado em ocasiões especiais, ou em jogos contra equipas com equipamentos listrados verde branco, como é o caso de muitas filiais do Sporting.

Os Estatutos de 1947 já dão a possibilidade de serem usadas camisolas totalmente verdes, mas o equipamento Stromp era usado preferencialmente, como se vê nesta foto do jogo da 7ª jornada do Campeonato Nacional de 1950/51, contra o Vitória de Setúbal em 29 de Outubro de 1950, que o Sporting ganhou por 6-0.

Sporting-V.Setúbal, 29 de Outubro de 1950

Uma camisola do Bastos

Esta camisola pertenceu a Vitorino Bastos, que foi jogador do Sporting entre 1968/69 e 1982/83, com passagens em Faro e em Saragoça. Fomos tentar descobrir as origens deste equipamento, em que épocas terá sido usado por jogadores do Sporting. Na altura, as camisolas passavam de jogador para jogador, e de jogo para jogo os números 1 a 11 podiam ser dados a jogadores diferentes. Por exemplo, o Morais foi o nº 4 na Final da Taça das Taças que terminou empatada a três bolas, e foi o nº 11 na Finalíssima vencida com o seu cantinho.

Sporting Clube de Portugal

De 1955/56 a 1964/1965. Camisola do Sporting alternativa. Era comum camisolas passarem de jogador para jogador de ano para ano. Esta acabou com o Bastos, mas possivelmente não foi usada por ele, mas sim por jogadores dos anos 50 e 60

Com agradecimentos à Sra. D. Joana Pessoa

Camisola do Sporting de jogo Bastos 1968 1969 alternativa

As camisolas alternativas a partir de 1965/66

Acontece que a partir de 1965/66 os equipamentos alternativos já não seguiam este modelo. Tinham a gola redonda, tal como os equipamentos listados. Podiam ser ou todos brancos ou todos verdes, mas sem gola (note-se que os Estatutos de 1968 em teoria só permitiam a variante verde). Ou seja, este equipamento não pode ter sido usado pelo Bastos com a equipa principal do Sporting Clube de Portugal.

Por exemplo, em baixo mostramos fotos de dois jogos contra o Vitória de Setúbal, à esquerda em 28 de Janeiro de 1968, segunda eliminatória da Taça de Portugal, e à direita 30 de Março de 1969, 24ª jornada do Campeonato Nacional.

Equipamentos alternativos do Sporting, 1965 a 1969

O primeiro equipamento alternativo verde: 27 de Novembro de 1955, Sporting-Sporting da Covilhã

Vimos nos arquivos do Jornal Sporting todos os jogos da equipa principal que lá aparecem com fotos, desde 1952/53. Confirmámos que o equipamento Stromp continuou a ser usado. A primeira utilização deste modelo de equipamento alternativo foi a 27 de Novembro de 1955, no jogo Sporting - Sporting da Covilhã, a contar para a 10ª jornada do Campeonato Nacional.

Mostramos aqui foto do segundo jogo em que estes equipamentos alternativos verdes foram usados, um amigável contra o Grupo Desportivo da CUF que se realizou a 24 de Dezembro de 1955.

O primeiro equipamento alternativo verde em 1955

Equipamentos alternativos brancos: mesmo modelo, cor diferente

Para além de camisolas iguais à do Bastos, foram ainda usados equipamentos em tudo idênticos, mas completamente brancos. Se já era muito raro os jogadores usarem os equipamentos alternativos verdes, já que isso só acontecia em caso de necessidade, e não por imperativos comerciais, são ainda mais raras as ocasiões em que estas camisolas todas brancas foram utilizadas. Neste caso trata-se do jogo contra o Lusitano de Évora para a 22ª jornada do Campeonato Nacional, jogado a 11 de Março de 1956.

Equipamento alternativo do Sporting branco, de 1955/56

Equipamentos alternativos até 1964/65

O Sporting Clube de Portugal continuou a utilizar este modelo de equipamento alternativo, com a gola em v clássica, até 1964/65. Ao mesmo tempo, nunca abandonou o equipamento bipartido Stromp, que foi também usado por vezes.

Por exemplo, a foto da esquerda é do jogo contra o Lusitano de Évora de 3 de Novembro de 1963, da 3ª jornada do Campeonato, enquanto que a foto da direita é da mesma época, dos oitavos de final da Taça, contra o Vitória de Setúbal a 10 de Maio de 1964.

Equipamentos alternativos do Sporting de 1963/64

Uma camisola do Bastos: o equipamento alternativo do Sporting de 1955/56 a 1964/65

Regressamos ao início: afinal, como é que esta camisola pode ter sido do Bastos? Porque que foi do Vitorino Bastos não tem dúvida nenhuma, já que veio directamente do seu espólio, da sua família, juntamente com várias outras que mostramos no verdebranco.

Só vemos duas hipóteses: a primeira é que lhe terá sido dada por algum defesa central do Sporting que o antecedeu, em jeito de passagem de testemunho. Em segundo, e mais provável, é que tenha sido usada pelo Bastos enquanto júnior do Sporting. Efectivamente, Vitorino Bastos chegou ao Sporting em 1964. Pode ter usado esta camisola entre esse ano e 1967/68, em que ainda jogava nos juniores. Era normal, e continua a ser, que as camisolas da equipa sénior passem para as camadas inferiores nos anos seguintes.

Em qualquer dos casos, pensamos ter ficado completamente estabelecido que este é o modelo de camisola alternativa usado pela equipa principal de futebol do Sporting entre 1955/56 e 1964/65.

Agradecimento

O Verdebranco gostaria de agradecer ao Jornal Sporting, onde foram obtidas todas estas informações. As fotos são de números antigos do Jornal Sporting, e sem a amabilidade com que nos foi permitido consultá-los e com que fomos recebidos, este trabalho não teria sido possível.


© 2009-2017 Nuno Barradas 40755-0